Et sensi, expertus sum non esse mirum, quod palato non sano poena est et panis, qui sano suavis est, et oculis aegris odiosa lux, quae puris amabilis.
Senti e experimentei não ser para admirar que o pão, tão saboroso ao paladar saudável, seja enjoativo ao paladar enfermo, e que a luz, amável aos olhos límpidos, seja odiosa aos olhos doentes.–Santo Agostinho

Esse verso nos faz refletir o papel do cristão na sociedade atual. Esse papel é simplesmente o mesmo papel de todos os cristãos em todos os séculos que já se passaram e nos que Deus permitir que venham – Somos a diferença desse mundo, somos o sal que salga, pois se fomos insípidos, seremos lançados fora.
Esse papel não é fácil de ser cumprido. Ainda mais em nossas sociedade ególatra e hedonista atual.
Ser diferente significa ir na “contra mão do sistema”, “remar contra a maré”. Muitos hábitos de hoje não saudáveis espiritualmente, ainda que pareçam inofensivos. Ferimos nossas ética e moral sem sentirmos culpa por isso. Quando encontramos alguém diferente de toda essa busca pelo prazer pessoal, o marginalizamos pois sua presença, ou mesmo proximidade, se torna algo desagradável e odioso até. Ninguém gosta de ser contrariado.

É perturbador e odioso, para a maioria, que lhes digam o quanto as coisas que lhes dão prazer são inúteis, pecaminosas e danosas. Preferimos a auto-ajuda e respostas bonitas do que recorrer à realidade coletiva – que é cruel. Para o pecador o futuro é tenebroso, me refiro ao inferno mesmo (Rom. 6:23). Agora, aqui está o problema: Somos todos pecadores. Mas aqueles a quem Cristo salvou, estão livres das garras da morte eterna, mas isso não pode trazer uma posição de conformidade em relação a esse mundo (Rom. 12:1,2). Então, por que nos comportamos como se estivéssemos espalhando alguma doença mortal? Por que somos tão omissos na pregação do Evangelho?

Agostinho nos advertiu, baseado nas palavras de Jesus (João 15:16-18), que o que é saudável, como o pão e a luz, é agradável para os saudáveis, mas o que é saudável é uma tortura e “odioso” para o organismo enfermo. Isso é aplicável à alma também. As almas enfermas se sentem mal ao receberem o que é saudável. Só a nossa presença, quando somos embaixadores do Reino Celeste, já se torna uma tortura e desperta-lhes a raiva ou o desprezo.

Não nos conformemos, mesmo que soframos perseguições, pois espalhamos a cura para as enfermidades espirituais – Jesus!
Romanos 12:17 A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens.18 Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.19 Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor.20 Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça.21 Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.
Fiquem com Deus.

Thiago Surian
Anúncios