1 Coríntios 12
1 Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.
2 Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme éreis guiados.
3 Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema, e ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.
4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
5 E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
7 Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
8 Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9 E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10 E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
11 Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.
12 Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.
13 Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.

Todo Cristão é batizado com Espírito Santo! É o que a Bíblia diz.

Eu fui pentecostal a maior parte da minha vida. Hoje não sou mais.

Fui durante anos membro da Igreja do Evangelho Quadrangular, aonde me entreguei ao Salvador. Era uma excelente Igreja, antes de se vender ao G12. Graças a Deus ainda muitos pastores e membros lutam para manter-se sadios e cristãos, mesmo diante do desvio doutrinário dessa outrora abençoada denominação. Mas também já tive passagem pela Assembléia de Deus, onde a Teologia é a que mais se aproxima, entre os pentecostais, dos protestantes históricos..

Nada contra o pentecostalismo, pois jamais cuspiria no prato onde comi.. Reconhece-se como sendo um movimento legítimo de evangelização e vida cristã. Eu posso dizer que quase tudo que aprendi sobre Cristo e vida cristã aprendi como pentecostal.. O problema é que minha Igreja virou neopentecostal, aderiu ao G12 e ou eu entrava na onda nova e traía a Cristo, ou continuava seguindo o Cristo que me salvou..

Lendo a Bíblia e ouvindo a idéia dos protestantes, percebi que Deus não faz acepção de pessoas, mas essa história de “Batismo no Espírito Santo”, propagada pelos pentecostais, cria duas classes de cristãos:
* Elite – São os que “falam em línguas” e têm a “plenitude” do Espírito
* Periferia – Somos nós, os tradicionais, que não buscamos “falar em línguas”, “profecias”, mas nos contentamos apenas com as Escrituras..

Esses “sinais” foram necessários na época quando se instituiu a Igreja, pois Deus quis por meio deles mostrar o Seu poder e a salvação de Seu Filho, através dos sinais que os apóstolos e os discípulos faziam no começo da Igreja. Mas isso são coisas de início, conforme o cristianismo evolui, esses dons não se fazem mais necessários, pois já recebemos os principais dons – A graça, a fé, a esperança e o amor.

Creio que em partes remotas da Terra, ou por algum propósito excepcional de Deus, pois Ele é DEUS e não deve nada para ninguém, Ele ainda use dos “dons” para estabelecer Sua vontade, porém de forma a beneficiar Sua vontade, não como “showzinho” ou para o benefício ou diversão individual dos crentes, pois esse é o tipo de conceito e comportamento que invalida o sentido escriturístico dos dons e torna falsa qualquer manifestação deles, mesmo que pareça muito com o que deveria ser o original. A Bíblia condena a auto-edificação através dos supostos dons (I Cor 14:4).

Eu mesmo falava em línguas, profetizava, etc.. Aprendi o quanto é fácil induzir uma multidão numa “hipnose coletiva” e incentivar a glossolalia através do discurso.. Não é necessário o Espírito para criar um “frenesi” na platéia..

Não duvido que Deus possa fazer isso ainda hoje em dia, se Ele quiser, mas o meu caso com as línguas era bem estranho. Hoje não busco mais isso. O mais importante do Cristianismo é o amor, que é o maior milagre que Cristo pode nos oferecer.

Que Deus nos abençoe e nos ajude a buscar e encontrar diariamente o Deus dos dons, nos fazendo evoluir como cristãos, e não os dons de Deus, que pertencem única e exclusivamente à Soberania de Deus.

Para reflexão:

I Corínthios 13:
8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

Anúncios