Como faço para identificar uma seita?

Hoje certas denominações protestantes têm se tornado mais ousadas em seu posicionamentos sobre grupos controversos que se auto-intitulam “protestantes”, ou “evangélicos”. Hoje há um certo avanço no protestantismo brasileiro no sentido de nos levantarmos formalmente contra as doutrinas das seitas neo-pentecostais (eu fui neopentecostal por anos e vivi na pele a destruição que essas seitas podem causar) e mostrar para a sociedade que os escândalos que elas se envolvem nos revoltam também e estamos contra os abusos e absurdos que essas seitas neo-pentecostais fazem em nome de Deus.

Recentemente a IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil) se posicionou também sobre o assunto e declarou formalmente a IURD (Igreja Universal do Reino de Deus) e a IMPD (Igreja Mundial do Poder de Deus) como seitas e pede o rebatismo e a profissão de fé de pessoas oriundas desses grupos que queiram ser membros dessa denominação. Eu confesso que, como ex-neopentecostal e ex-crente nas doutrinas defendidas pela IURD (mesmo nunca tendo sido membro da IURD), eu fiquei muito contente com mais esse avanço e tratei logo de compartilhar isso em fóruns pela internet. Bom, eu vi reações de todos os tipos a essa notícia. Gente dizendo que IPB não têm o direito ou a autoridade de fazer isso, gente dizendo que gostou da notícia, gente dizendo que a IPB é satanista cheia de maçons e blá blá blá.. Só que uma das reações me deixou pensativo: Algumas pessoas ficaram em dúvida sobre qual é o critério para se determinar um grupo como uma seita.

Eu pesquiso religiões não cristãs e seitas pseudo-cristãs há pelo menos uns 10 anos e já vi várias diretrizes usadas por denominações evangélicas históricas e pentecostais sobre como identificar uma seita, além de conhecer as confissões de fé e declarações doutrinárias dessas denominações pesquisadas para entender as bases doutrinárias dessas denominações que motivaram a determinar essas diretrizes. Através disso pude concluir alguns pontos em comum entre as diretrizes dessas denominações para determinar como se identificar uma seita. É isso que quero compartilhar com vocês.

Well, esses pontos são conclusões minhas sobre o que pesquisei nesses anos e tenho aqui em mente para escrever. São 0h30 agora, eu estou morrendo de dor nos ossos por causa da espondilite anquilosante e, portanto, não estou com a mínima paciência de colocar citações de livros com suas páginas, citar fontes conforme normas da ABNT, colocar links inumeráveis que quase ninguém vai clicar, etc, etc, etc.. Afinal, isso aqui é um blog e não uma tese de mestrado. Mas vou fazer isso, de postar minhas fontes, quando estiver melhor e com paciência, por desencargo de consciência e para dar mais credibilidade ao que estou postando, é claro.. Mas, até lá, se conformem e peço que, se forem comentar, comentem o conteúdo do que estou escrevendo e parem com chatice acadêmica de ficar pedindo que eu cumpra “regras de postagem” ou argumentos ad hominem para me xingar quando não tiver contra-argumento ao que estou postando, por favor. Grato pela compreensão. Vamos lá:

Há uma certa concordância entre as variadas denominações protestantes que uma seita é caracterizada assim quando suas doutrinas vão contra o que é fundamental no cristianismo, como:

Trindade (como a Voz da Verdade, que é unicista, ou as TJs, Mormons que têm uma visão da Trindade como “triteísmo” e não como a Bíblia apresenta a nossa Divindade)

Bíblia como regra suficiente de fé e prática cristã (Como as Adventistas do Sétimo Dia, que acrescenta os escritos da Ellen White como tão inspirados como a Bíblia, ou muitas CCB e a Deus é Amor, além de muitas neopentecostais, que têm as palavras de seus “profetas”, “apóstolos” e fundadores como tão ou mais inspirados como a Bíblia, nisso a IURD se inclui também)

Salvação pela graça por meio da Fé (Seitas que pregam a salvação através de obras e sacrifícios, ou pervertem o sentido de fé e ensinam também a salvação por obras, como faz a IURD)

Os atributos de Deus (Soberania, Onipresença, Onisciência, Eternidade, etc.. A IURD e outras seitas também negam um ou mais atributos de Deus)

O juizo final, a vida eterna no céu ou no inferno (Aqui se enquadram grupos como os universalistas, os liberais e a IASD também)

O batismo em nome da Trindade (Os unicistas e a CCB batizam em nome de Jesus)

A perpetuidade da Igreja (aquelas seitas que dizem que a Igreja morreu, ou adormeceu, durante algum tempo e foi ressucitada através do grupo que assim declara).

Cada denominação cristã geralmente têm suas próprias palavras para definir diretrizes para denominar um grupo como seita, mas pelo que pesquisei nessas diretrizes e confissões de fé que “anatemizam” doutrinas, é isso que se pode concluir como comum entre elas para nomear um grupo como seita.

P.S. – Tá, eu sei que a introdução ficou maior que o argumento em si, mas fazer o quê? Sou assim!! Hehehe..

Anúncios