Primeiro quero começar lembrando que tenho o direito bíblico de questionar as coisas e avaliar qualquer proposta antes de apoiar e aderir. Tenho o direito bíblico a ter uma opinião sobre as coisas:

Examinai tudo. Retende o bem. 1 Tessalonicenses 5:21

Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus.. 1 João 4:1a

Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. Atos 17:11

Não estou fazendo essa postagem para atacar nada (ainda.. Hohoho), estou apenas querendo levantar um debate sobre esse novo movimento que pode crescer no cenário evangelical brasileiro, ou “morrer na praia”, como já aconteceu com diversos outros movimentos. Vou colocar aqui meus questionamentos e você está livre para comentar, debater, dar a sua opinião nos comentários.

O que vocês acham dessa nova onda que está acontecendo? Um grupo de pastores e líderes de auto-intituladas “igrejas sérias” do meio evangélico brasileiro, como a Igreja Betesda, Acampamento Jovens da Verdade, IBAB, além de nomes de outros ministérios (ou seja, pessoas ligadas aos seus ministérios, mas não necessariamente representando tais ministérios e movimentos nessa Aliança) da Igreja Nova Vida, Igreja de Confissão Luterana do Brasil, Igreja Metodista, IPB, IPI e outras se unindo num propósito de integração entre elas e outras denominações que eles julgarem serem “sérias” para uma Aliança Cristã Evangélica Brasileira.
Confira a “Carta de Princípios” da tal “Aliança”

Bom, a idéia parece boa, mas vemos pela internet que certos nomes entre os que lideram tal “Aliança” não mostram comprometimento com o Senhor de maneira bíblica, aliás, nem acreditam na Bíblia como Palavra de Deus, porém se rendem à neo-ortodoxia e ao neo-liberalismo teológico. Em outros grupos de “unidade” do cristianismo protestante, vemos o liberalismo teológico dominando as idéias e ações desses grupos, como no caso do Conselho Mundial de Igrejas (CMI).
Será que vale a pena apoiar tal idéia, já que alguns que estão à frente são promotores de visões controvertidas de evangelismo, (como a Missão Integral), de doutrina bíblica (adeptos do neo-liberalismo e neo-ortodoxia) e de ortopraxia cristã (abusam do conceito de salvação pela graça para apoiarem quem comete iniquidades sem apontar que a iniqüidade é pecado e Deus odeia isso)?

Tenho muito respeito pelos líderes que encabeçam tal movimento e são todos queridos para mim, avaliando pelo que leio na internet ou tive a oportunidade de acompanhar pessoalmente, mas minha consciência não me permite baixar minha cabeça e ficar calado com o que alguns deles ensinam, por isso estou muito desconfiado dessa iniciativa que estão levando a cabo.

Na carta de princípios da Aliança Cristã Evangélica Brasileira eles citam os 5 solas, nossos princípios básicos como protestantes, mas o histórico desse tipo de iniciativa não me deixa muito otimista, além de alguns nomes envolvidos nesse projeto de maneira bem influente, não mostrarem comprometimento com esses 5 Solas citados, além também de literalmente “descerem a lenha” nos evangélicos sempre que têm oportunidade, se colocando sempre numa posição de “separação”, ou “superioridade” aos demais evangélicos; e agora, com o que ACHO que seja uma aparente falsidade, os tais vêm propor ou apoiar uma unidade muito suspeita, sem deixar claro para que fins essa “unidade” deve ser promovida, parecendo ser uma artimanha de “auto-afirmação” entre os evangélicos.. Creio que os cristãos devem ser bereianos e examinarem tudo antes de aderirem e participarem, por mais que seja uma aparente boa idéia, temos que ver se o objetivo, o caminho a seguir e o alvo é bíblico, ou seja, a glória de Deus..

Por outro lado, pode ser uma boa iniciativa. A Igreja Evangélica é caracterizada pela diversidade. Nós protestantes temos o direito ao livre-pensamento (presta atenção, é “livre-pensamento” e não “livre-arbítrio”.. Hehehe) e isso é um ponto positivo, na minha opinião, produzindo riqueza e diferenças positivas também em nosso meio. Eu acho legal que tenhamos diversidade entre nós. O que seria do vermelho se não fosse o amarelo, do branco se não fosse o azul, do doce se não fosse o salgado e etc? Pode realmente ser uma boa iniciativa de unidade em meio à nossa diversidade.

O que vocês acham dessa nova iniciativa??

Deus abençoe.

————- ATUALIZAÇÃO————

A Igreja Cristã Nova Vida se desligou da Aliança Cristã Evangélica Brasileira, conforme comunicado em seu site oficial:
http://www.portalnovavida.com.br/icnv/pt/vwMateria.aspx?m=495

A Aliança Cristã Evangélica Brasileira postou em seu site uma nota a respeito da saída da Igreja Nova Vida:
http://www.aliancaevangelica.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=19:palavra-de-esclarecimento-da-alianca-crista-evangelica-brasileira

Anúncios