image

*Existem alguns destaques a serem observados na oração do nosso Salvador em Sua hora da provação.

Observamos que foi uma oração solitária. Retirou-se até mesmo de seus três discípulos preferidos.

Ô crente, invista muito mais na oração solitária, especialmente em tempos de provação.

Oração familiar, oração social, a oração na Igreja, não serão suficientes, nem te trarão o necessário diante da sua realidade. Tudo isso é ok, muito bom mesmo e temos mais é que fazer essas orações públicas mesmo. São momentos muito preciosos; mas o melhor “incensário”, o melhor “perfume” diante do Senhor, são suas devoções e momentos particulares, onde você não está para se auto-afirmar, ou para aparecer para os outros, onde nenhum ouvido ouve, mas só Deus está lá para te ouvir e avaliar sua prece (oração).

A oração humilde. Lucas diz que Jesus se ajoelhou, mas um outro evangelista diz que ele “caiu sobre seu rosto.” Onde, então, deve ser teu lugar, humilde servo do grande Mestre Jesus? Que o pó e cinza cubram a tua cabeça! Que seus joelhos se sujem de poeira e sua testa fique marcada pelo chão. A humildade nos dá boa segurança em oração, nos faz sentir que estamos sendo ouvidos. Deus não é obrigado a atender ninguém, pois Ele é soberano, mas quando temos o hábito de humilhar a nós mesmos, sabemos que Ele pode nos exaltar em tempo útil.

Em humildade, como filho amado do Senhor, você pode dizer: ‘Abba, Pai’. Você verá que é uma força vital e um privilégio ser filho de Deus no dia em que Ele julgar o que fazer com sua oração. Você é pecador. Traiu a Deus. Não merece nada dEle. Você não tem direitos como sujeito, mas nada pode tirar o direito de criança à proteção de um pai. Não tenha medo de dizer: ‘Meu Pai, ouve o meu clamor. ” Seja humilde. Observe que Jesus perseverou, insistiu na oração. Ele orou três vezes. Ser “chato”, insistente diante de Deus é o que Ele mesmo pede. Ser como a viúva “chata”, que encheu a paciência de um juiz para ganhar um causa e ele se encheu tanto que deu o que ela pedia e era impossível ganhar. Continue em oração, e insita também em agradecer a Ele.

Por fim, foi a oração de renúncia. “No entanto, não como eu quero, mas como tu queres.” Renda-se a Deus e Ele vai te responder da maneira e de acordo com a vontade dEle. Que seja como Deus quer, e Deus irá determinar o melhor. Fique contente em deixar sua prece, suas petições, suas necessidade e anseios nas mãos dEle, que sabe quando dar, como dar, o que dar e também o que não dar, o que reter, o que tirar. Então, pedindo, sinceramente, sendo “chato” (insistente), mas com humildade e aceitando os “sim” e os “não” dEle também, com toda a submissão de um servo (escravo) de Deus, você certamente vai vencer esse desafio que você enfrenta.

*baseado no devocional “Morning and Evening”, de C.H. Spurgeon (Morning – Day 82)

Anúncios