Publicado em fevereiro 11, 2009 por Thiago Surian

10 REGRAS PARA OS LIBERAIS E NEOLIBERAIS:

Fornique. Se prostitua. Faça sexo à vontade fora do casamento (Jovem: aproveite bastante o sexo antes do casamento. Isso conta pontos)

Use drogas (De preferência um baseado, que é a droga da classe média, então conta pontos)

Pratique sodomia (pode ser ato homossexual, bissexual, melhor que seja pansexual, tipo o Sergei)

Não vá na Igreja (Instituições são pagãs, é melhor você ir num grupo organizado, com regras de convivência iguais a de uma instituição e que são uma instituição à parte e superior a todas as demais instituições, mas você deve negar até a morte que aquilo é uma instituição)

Não evangelize quem não é crente(Fique na internet só pregando para crentes.. Pregar para quem não é crente é falta de respeito e intolerância com a fé alheia)

A Bíblia não é a Palavra de Deus, ela apenas contém a Palavra de Deus (????????? Tipo, só creia naquilo que te convém no texto bíblico, ok? Se aquilo que te ofender diga que aquilo era só para a época, que a Bíblia foi alterada em algum momento da história e crer na Bíblia toda é coisa de fundamentalista)

Xingue qualquer crente que discorde de você. Crente não pode discordar de você, pois você é superior! (Sugestões de xingamentos: Hipócrita, fundamentalista, homofóbico, racista, manipulado, pastor ladrão e outros. Use sua criatividade. Você é superior, caramba..)

Apóie o grupo ativista social do momento pela internet, mas não participe efetivamente dele (Se você participar, você pode deixar de ser neoliberal e não terá tempo para mostrar na internet ou em circuitos acadêmicos evangélicos o quanto você é superior. Então só dê seu apoio intelectual)

Repita sempre em seus discursos as palavras “amor”, “graça”, “misericórdia”, “Jesus”, “Evangelho”. Não se preocupe com o fato de sua vida não refletir nenhuma dessas palavras. (Tente evitar usar a palavra Deus, ou Jeová, pois Deus Pai é um cara mau. Jesus foi humano, um humanista, na verdade, então só Ele entende o que a gente sente. O Deus do Velho Testamento é mau. É outro Deus. Não é o mesmo do novo. Então frise sempre no Evangelho e só use as passagens do antigo testamento que for conveniente às suas idéias. Fora isso, evite-o!)

O mais importante: Não creia no Inferno, nem em punição divina (Nem satanás será jogado no inferno, ele será perdoado porque Deus é amor e não teria criado Lúcifer para depois jogá-lo no inferno. Isso é contra o caráter de um deus que nós fabricamos que lê Shakespeare e os grandes romances humanistas, então segue aquele tipo de amor liberal e não punirá ninguém.. Só os crentes evangélicos.. Inferno é só para os crentes, pois discordam de nós. Lembre-se sempre disso!)

Vamos entender agora o que é liberalismo e neoliberalismo.

Existem dois métodos de interpretação da Bíblia, o método “histórico gramatical”, que é o método que os cristãos têm em toda sua história, ou seja, a Bíblia é um oráculo divino, infalível e perfeita ao que se propõe, por isso a Bíblia se interpreta com a própria Bíblia. Esse é o método que os cristão têm apostado nesses 2 mil anos de história, herdado do judaísmo, e têm recebido vida eterna pela fé no Jesus que a Bíblia apresenta, da maneira como Ele se apresenta na Bíblia. Esse foi o método ensinado por Jesus e pelos apóstolos, hoje uma das críticas dos neoliberais é que a Bíblia não deve ser interpretada com a própria Bíblia, mas tendo Jesus como chave hermenêutica, mas quando dizem “Jesus”, eles desconsideram que é a Bíblia quem nos apresenta Jesus e seus ensinos, por isso o “Jesus” que eles falam que é para colocar como chave hermenêutica é a imaginação deles, que erroneamente chamam de Jesus, não o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Trindade; por isso colocar Jesus como chave hermenêutica da Bíblia não é interpretar segundo o que Caio Fabio, Ed René Kivitz. Rob Bell, ou qualquer sonhador inventa, mas segundo Jesus ensinou, ou seja, segundo o método histórico gramatical. Nas questões aonde não há revelação registrada na Bíblia, ou não há clareza, então há o conceito de iluminação progressiva, ou seja, deve-se buscar em oração a iluminação do Espírito Santo sobre o assunto. No caso será um tratamento particular, não uma revelação à toda igreja cristã, pois já está fechado o canon bíblico.

Do iluminismo para cá, foi criado outro método, o “histórico-crítico”, que é adotado pelos teólogos do Liberalismo, onde a Bíblia passa pelo crivo da ciência, das informações que temos hoje sobre história, filosofia, etc, os liberais procuram separar o que eles consideram “superstição” do que é realmente histórico e científico na concepção deles. Esse método é muito furado. Já que a ciência não dá certeza, ela faz (ou deveria fazer) perguntas, então cada teólogo liberal tem uma teoria diferente sobre questões e personagens bíblicos, mas o esforço é sempre tirar o elemento infalível e inspirado das Escrituras, mas humanizar a revelação divina e afirmar que é um livro comum como qualquer outro, que as pessoas devem buscar outras fontes de entendimento sobre o Divino.

Liberalismo foi um movimento que aconteceu na Europa e arrasou com as igrejas protestantes por lá. Como parasitas, os caras invadem as igrejas já constituídas com as idéias deles, que dizem que o ser humano é o centro da vontade de Deus, que o ser humano é a razão de tudo que existe e que a inteligência do homem (inteligência???) é que pode salvar o homem das mazelas do mundo e do medo do tormento eterno (que eles se confundem para explicar e muitos dizem que nem existem).

A Igreja sofreu muito com o movimento liberal, desde logo após a Reforma protestante. O liberalismo teológico era um movimento de um bando de “intelectuais” que procuravam explicar o ensino Bíblico segundo as ciências conhecidas e assim tentar agradar a cristãos e aos iluministas ateus da época.. Ou seja, os liberais sempre quiseram ter respostas para tudo, mas sem acreditar que essa resposta vem de Deus, então a Razão humana é como um ídolo para eles. Os liberais acreditam que a interferência de Deus entre os seres humanos é nula, então as doutrinas cristãs não são algo divino, mas apenas explicações humanas do que o homem achava que era divino em um determinado momento da história. Os liberais não acreditavam todos na mesma coisa, mas cada um acreditava no que chega à conclusão em suas pesquisas pessoais. Tinha liberal, por exemplo, que nem acreditava no Deus pessoal, mas acreditava que Deus era uma idéia, algo representativo dos anseios humanos, mesmo assim se considerava um cristão e era membro ativo de igreja, pastor, professor de teologia, etc..

Quem eram os liberais: Bulttmann, Friedrich Schleiermacher

NEOLIBERAIS,

São uma “evolução” do que foi dito acima. Mas a diferença é que para eles não existe nada absoluto, a não ser a opinião pessoal deles. Digamos assim: Um LIBERAL nega uma doutrina bíblica, porém coloca uma outra “verdade”, geralmente “científica” no lugar (por ex: Alguns liberais dizem que Jonas não foi engolido num grande peixe, o livro é apenas um conto com valores morais); um NEOLIBERAL dificilmente nega uma doutrina, mas a relativiza (por ex: Qdo a Bíblia fala de inferno, ela fala dos sofrimentos dessa vida, não de um “lugar de tormento no pós-vida). Os neoliberais são niilistas, anti-instituições, e crêem só naquilo que é conveniente para o indivíduo. Só que, mais fortemente ainda que os liberais, não pensam entre si da mesma maneira, cada um tem sua própria maneira individual de explicar as coisas e de acreditar nelas. Para esses neoliberais, coisas absolutas no cristianismo devem ser revistas e desacreditadas, pois estão ultrapassadas. Pecado é aquilo que os ofende como indivíduos, ou seus queridos, aí substituem o ensino divino por seus conceitos pessoais. Por exemplo, dizem que a homossexualidade era um conceito da época, que hoje isso não pode mais ser encarado como pecado, pq o “amor” é mais importante e ser contra a homossexualidade é que é “pecado”, então para eles aquilo que discorda com o que acreditam é pecado, não aquilo que a Bíblia diz que é pecado. Eles dividem as coisas no mundo entre “bom” e “ruim”, não entre “certo” e “errado”. Se é bom, faz bem, dá prazer, então não é pecado. Se os incomoda, causa sentimentos ruins neles, então é pecado. Aí está a principal diferença entre eles e os liberais antigos: Os liberais ainda tinha princípios absolutos e acreditavam na ciência como interpretação da Bíblia. Para os neoliberais o que importa é sua ideologia pessoal, em argumentos teológicos com bom respaldo “intelectual” e acadêmico que eliminam qualquer problema ou culpa em se questionar aquilo que Deus estabeleceu.

Neoliberais de hoje (ore para que abandonem essa posição): Caio Fabio, Ricardo Gondim, Ed Renê Kivitz, Pavarini e outros

Alerta para os politicamente corretos quem pode ter estranhado:
Só deixando claro que essas regras são um protesto uma brincadeira com as posições dos liberais e neoliberais que vejo por aí e apesar de não minimizar a gravidade da posição nem todos concordam com todos os pontos que numerei nessas regras, ok?

Anúncios