Ultimamente parece que tenho “revivido” toda aquela história de quando fiz parte de uma galera (ou “geração”, se vc for gospel) que só queria adorar e servir a Cristo do jeito que sabia, seguindo a Bíblia, mas sem maneiras impostas de seguí-la e ensiná-la, apenas seguindo Jesus diretamente, tendo relacionamento direto com Deus, sem intermediários..

Foi uma época maravilhosa, mas muito difícil, pois haviam muitos que eram contra, porque queriam impor “tradição” junto com a Bíblia, proibindo coisas que a Bíblia não proibe e determinando coisas que a Bíblia não determina.. Era difícil ser aceito numa igreja pelo jeito que se era, a lista de exigências de regras extra-bíblicas (as vezes anti-bíblicas) era muito grande..

Pois bem, hoje tenho visto a mesma mentalidade legalista retornando. Muitos que antes eram perseguidos, hoje perseguem, exigem demais, cobram demais, mas não têm a dignidade de, nem ao menos com um dedo, levar as cargas dos novos convertidos que resistem a perseguição externa, a rejeição social e familiar por seguir a Jesus, antes colocam mais opressão com tantas exigências. Hoje é difícil ser novo convertido no Brasil, pois se exige uma perfeição em coisas banais como entretenimento, vestimentas, maneira de falar, de escrever, de se portar na igreja; mas os que cobram e exigem essa “perfeição” demonstram coisas gravíssimas em troca, como arrogância, ódio, indiferença, desprezo e fazem ameaças com versículos tirados de seus contextos para oprimir esses novos convertidos, ou mesmo os já há muito convertidos, mas discordantes deles em pontos relativos da fé cristã, apenas para se diferenciarem” numa necessidade iníqua de auto-afirmação.

Eu também me pego nessa exigência e cobrança, também me pego nessa necessidade de auto-afirmação, mas isso é minha natureza caída me direcionando a atitudes pecaminosas. Deus não tem interesse na minha auto-afirmação, mas que eu me santifique a Ele, e ELe já fez suas exigências para essa santificação, estão todas na Bíblia. Não é necessário “entender premissas”, “estudar a história de um moimento de séculos passados”, “entender certo ponto da confissão de fé x”, nem buscar a aceitação de homens nesta terra para se agradar a Deus. É só cumprir as exigências que Ele fez na Bíblia. Só neste livro temos o que Ele tem a nos dizer, e só pela Bíblia entendemos o que Ele quer dizer, não com materiais extra-bíblicos (que podem ser um excelente auxílio, mas SEMPRE pecam em um ou outro ponto).

Hoje revivo essa opressão não em mim mesmo, mas em ver os jovens e novos convertidos de hoje serem esculachados por seus erros, ao invés de acolhidos e tratados e, o que mais me dói, é que, talvez na maioria das vezes, esses “erros” nem são erros, mas apenas algo que a pessoa que ofende o jovem inexperiente, ou o novo convertido, discorda e que não é fundamental à nossa fé cristã..

Para explicar melhor meu pensamento, deixo uma passagem da Palavra de Deus:
Toda a lei se resume num só mandamento: “Ame o seu próximo como a si mesmo”.
Mas se vocês se mordem e se devoram uns aos outros, cuidado para não se destruírem mutuamente.
Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne.
Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam.
Mas, se vocês são guiados pelo Espírito, não estão debaixo da lei.
Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem;
idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções
e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti, que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.
Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade,
mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.
Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos.
Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.
Gálatas 5:14-25

Anúncios