Até quando??

O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento.
Provérbios 29:7

A Espondilite Anquilosante não me deixou dormir hoje, então fiquei a noite assistindo filmes bem legais que passaram na TV a cabo. Primeiro o ultimo “Transformers”. Nem preciso dizer que o filme é muito bom. Histórinha daquelas pra boi dormir (pois é, não dormi, não sou boi..), mas os efeitos compensam qualquer deficiência lírica do filme. SENSACIONAL.

Mas o filme que me impactou hoje e me motivou a abrir meu computador e escrever foi “A Informante”. Esse filme trata de uma rede de prostituição na época da guerra da Bósnia, onde policiais e funcionários públicos, locais e internacionais, estão envolvidos nesta rede, com desconsideração total contra a vida humana. Há alguns anos atrás, trabalhei na evangelização de garotas de programa, mas foram poucas vezes, então não sei mesmo como funciona esse esquema da “indústria da prostituição” (uma das mais lucrativas do mundo, dizem) no Brasil, mas o que me chamou a atenção neste filme foi como tudo é feito com o consentimento da sociedade, que, como dizia Jesus “coa o mosquito e engole o camelo”. Identifiquei rapidamente essa terrível realidade que aconteceu na Bósnia e, creio, ainda deve acontecer pelo mundo na mesma crueldade, ou até pior, com a realidade que vejo nas periferias de onde tenho o privilégio de conhecer, lugar onde não há poder público, nem igrejas bíblicas em número pelo menos mínimo para atender as necessidades das pessoas de Deus (e mais necessitadas ainda no âmbito material, já que não há Estado, nem governo para ajudar essas pessoas, somente para “colocá-los nos seus devidos lugarzinhos”, longe das ‘pessoas civilizadas’ – assim parece ser a ‘Missão’ de alguns movimentos ‘cool’ de hoje também). A situação nas periferias é muito parecida com as das zonas de guerra, ao que parece (o mais próximo que estive de uma “zona brutal e sangrenta de guerra” na vida foi um grupo/comunidade da internet que trata sobre o reformador João Calvino – e eu sou calvinista – onde tem gente muito legal, mas os “guerreiros dos teclados” travam suas batalhas por coisas idiotas que eles chamam de “teologia”, mas isso é pano para outro post).

É triste ver que, assim como nas zonas de guerra, não há para onde correr, não há ombro onde se possa chorar, não há armas para se defender, não há regras para o “jogo” todo, nem há respeito pela dignidade das pessoas, muito menos pela própria existência delas, na periferia acontece a mesma coisa e, assim como houve conivência das instituições constituídas para combater essas coisas, também há não só conivência, mas participação ativa dessas instituições oficiais por aqui pelas periferias e desprezo por parte daqueles que foram comissionados a amar o próximo como a si mesmo. “Quanto menos, melhor”, é o que ouço até mesmo de quem está no mesmo barco daqueles que é “necessário eliminar”, ou pelo menos afastar dos “vencedores da vida” que não “merecem” ser perturbados em suas zonas de conforto, seja zoneamento geográfico, seja zoneamento relacional (adoramos “ser igreja”, “cool”, “relevantes”, “integrais”, “bons cristãos”, “bíblicos” e bla bla bla só com nossos amiguinhos – o resto que se dane. Não é mesmo?).

Isso é algo que não consigo ver e deixar para lá. E não vejo mais nenhuma solução humana para isso, pois não existe nem mesmo vontade de se solucionar os problemas dessas regiões no Brasil.

Well, não vou ficar só no mimimi, mas vou continuar minha oração para que o Senhor intervenha em nossa realidade, afinal, a esperança é Jesus Cristo e Ele esta vivo e pode ouvir o clamor de tantas pessoas necessitadas neste país. Não há muito que possamos fazer, mas creio no Deus que muda corações e pode colocar vontade de fazer algo efetivo de bom pelo próximo em nós e em quem tanto oprime as periferias neste país tão caído dos caminhos do Senhor:

Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus.
Porque o necessitado não será esquecido para sempre, nem a expectação dos pobres perecerá perpetuamente.
Salmos 9:17-18

Quando deres um jantar, ou uma ceia, não chames os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os teus parentes, nem vizinhos ricos, para que não suceda que também eles te tornem a convidar, e te seja isso recompensado.
Mas, quando fizeres convite, chama os pobres, aleijados, mancos e cegos,
E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos.
Lucas 14:12-14

Abre a tua boca a favor do mudo, pela causa de todos que são designados à destruição.
Abre a tua boca; julga retamente; e faze justiça aos pobres e aos necessitados.
Provérbios 31:8-9

Antes que me esqueça, o título desse post é puro sensacionalismo. Quem presta atenção na periferia sempre fala que o lugar é “abandonado até por Deus”. Então me lembrei disso e resolvi colocar no título. Nada demais..

Anúncios