20130205-194727.jpg

Eu não gosto de tratar muito pela internet da questão homossexual, porque é um assunto cheio de preconceitos de todos os lados e qualquer palavra que eu diga vai ser obrigatoriamente mal interpretada, pois hoje há uma enorme confusão de valores, no sentido de que há muitos valores diferentes entre si sobre o assunto e como cada um avalia as coisas conforme seus valores pessoais, uma mesma sentença será avaliada de maneiras diferentes, por causa dessa verdadeira torre de babel que virou o assunto.

Mas hoje eu quero falar algo aqui, já sabendo que serei mal-interpretado e dependendo do que me acusarem vou ter que me defender nos comentários (o que odeio fazer, mas tudo bem).

Homossexuais são pessoas, não são números, não são personagens de ficção política, não são peças num tabuleiro, são pessoas. E como pessoas, são nosso próximo e merecem nosso respeito e Jesus demandou que os amemos.

Já adiantando. Eu quero paz com os gays, quero amizade.

Eu odeio pagode, funk, sertanejo, odeio ver gente sambando, dançando funk. Eu não gosto dessas coisas.. E não gosto da homossexualidade.

Eu sou “funkofóbico”, “pagodofóbico”, “sertanejofóbico”?? Não. Sou homofóbico? Claro que não!

Não saio agredindo pagodeiros por aí, não julgo um ser humano que curte pagode como inferior a mim só por causa disso.
Considero pecado tanto a dança funk que é praticamente um “sexo de calça” como a homossexualidade.

Enfim, NÃO ODEIO essa galera. Nem odeio os gays!! Apenas tenho meus valores e convicções e essa galera toda tem os deles.. Isso não impede uma convivência pacífica entre eu e os fãs dessas coisas, então essas militâncias gays mentem dizendo que a convivência pacífica entre gays e cristãos é impossível e vcs devem declarar “guerra” contra nós. Podemos muito bem ser amigos. A maioria dos cristãos deve também querer a amizade e a paz com os gays, cabem aos gays também rumarem à paz, conviver tranquilamente. Eu creio que dá para conseguir. É só querer..

Como cristão, considero também a homossexualidade como um assunto moral e discordo do comportamento homossexual, considero a atitude homossexual um pecado (o sentimento eu sei que muitas vezes foge ao controle da pessoa, não posso condenar alguém por um sentimento que ela não controla, por isso estou falando da atitude), mas também discordo do divórcio, da sonegação de impostos, do racismo, etc, mas nem por isso odeio meus amigos divorciados, meus amigos que fazem “gato” no imposto de renda, nem meus amigos racistas (no meu Facebook eu tenho alguns amigos que vira e mexe vêm defender o racismo deles que eles chamam de “não racismo”, mas nem por isso os odeio), desde que não sejam uma ameaça, como no caso de alguns que são sim uma ameaça, nos casos citados acima, existem adúlteros que prejudicam suas famílias e abandonam seus filhos à miséria e privações, pedófilos que abusam de uma criança indefesa, fraudários que desviam dinheiro de pessoas inocentes, racistas que praticam violência contra pessoas inocentes; mas se não é esse o caso, se é algo consentido entre dois adultos cientes do que fazem, como no caso dos gays e divorciados, não posso considerar essas pessoas uma ameaça.

Posso muito bem me dispor como cristão com minha amizade e vontade de compartilhar com elas sobre a salvação e transformação através de Jesus, se elas assim aceitarem, sem ser invasivo, e, se não aceitarem, tudo bem, respeitando a individualidade delas e a soberania de Deus sobre a Eleição, Chamado e transformação das pessoas, não é meu papel providenciar, exigir ou cobrar isso das pessoas. Enfim, posso sim conviver pacificamente com essas pessoas e elas comigo, se assim nos dispormos a superar nossas diferenças e dividirmos o espaço que temos nesse planeta de maneira amigável, sem prejuízo para nenhum de nós.

Se você quiser que eu dê minha opinião sobre a homossexualidade no campo biológico, se existe a influência ou determinismo biológico/genético da homossexualidade; eu não entendo de biologia, não vou me aventurar no assunto hoje, talvez no futuro, quando souber mais a respeito. Não estou chamando a homossexualidade de doença, de 100% comportamental, EU NÃO SEI NADA SOBRE ISSO. Só sei no campo moral, na moral que abracei, que Jesus ensina na Bíblia, não sei no campo biológico o que comentar.

Eu só acho que seria legal pensar nos milhares de homossexuais no Brasil como seres humanos, que sofrem com a relidade deles, que têm negadas pela sociedade a possibilidade de mudar de vida (é sim possível mudar de vida, os homossexuais podem ter a vida transformada, mas são negados dessa possibilidade pela sociedade, só Jesus que estende a mão para eles), mas eles sofrem sim, tanto moralmente, com seus conflitos internos (a Lei moral de Deus, gravada em nossos corações, sempre fala à nossa consciência), ou com preconceitos, até porque não há conceitos sociais claros e definidos sobre o assunto, a maior se trata de pré-conceitos espalhados por militâncias (religiosas, ateístas, políticas, etc) que confundem tanto os gays e os que querem conviver numa boa com eles, que é o caso da maioria da população cristã desse país, a qual certos líderes religiosos da mídia não representam. Nisso a ciência (a teologia também é ciência, assim como a biologia e a genética, só lembrando) pode contribuir na formação desses conceitos de convivência pacífica, desarmando a agressividade algumas militâncias e ajudando nesse conflito social em torno da homossexualidade hoje em dia..

Acho que esse debate deve acontecer entre as militâncias gays e religiosas sem armas, numa boa, temos que conviver pacificamente se queremos dividir esse espaço que Deus deu tanto a cristãos como a homossexuais, neste planeta, neste país..

Devemos lidar com os que defendem a homossexualidade assim como buscamos lidar com outros grupo ideológicos: de maneira pacífica. Não precisamos concordar com as atitudes das pessoas, nem aceitar o que elas propõem, quando isso vai contra nossas crenças, podemos nos separar (santificar significa separar. Santo não significa perfeito, significa separado) das atitudes que elas tomam que consideramos erradas, mas é essencial buscarmos a convivência pacífica e, se possível, frutífera com elas. A Bíblia diz:

Se for possível, quanto depender de vós, vivei em paz com todos os homens.
Romanos 12:18

Procurai a paz com todos e ao mesmo tempo a santidade, sem a qual ninguém pode ver o Senhor. Hebreus 12:14

Anúncios