che guevara - cor tijolo

Quando eu era adolescente, me enchiam tanto o saco por curtir rock e metal, dizendo que isso era coisa do diabo, diziam que eu não poderia ser cristão e curtir rock, usar roupas que eu curtia, participar da tribo que eu me identificava, porque isso era coisa do diabo. Com tanta insistência, minha fé começou a fraquejar, eu não lia a Palavra de Deus, nem orava como devia, então comecei a me considerar “indigno” e parei de tomar a Santa Ceia, sacramento fundamental para alimentar a fé. Então com o tempo passei a acreditar no discurso legalista que Deus me odiava por curtir rock e metal e queria virar satanista só para provocar a galera chata pra caramba que me torrava a paciência. Claro que não levei adiante a iniciativa. Com o tempo a graça de Jesus me despertou do sono que tive, retomei a leitura bíblica e a oração, minha fé foi alimentada pela Palavra de Deus e retomei a comunhão e os sacramentos. E nunca mais larguei a fé naquEle que me ama do jeito que eu sou, ou melhor, apesar do jeito que eu sou.

Hoje é a mesma coisa. Galera me enche o saco por causa de um inimigo imaginário chamado “Comunismo”.Até pouco tempo atrás, eu me identificava como “nem esquerda, nem direita”, depois de centro, hoje me identifico mais com a centro-esquerda, uso da minha liberdade civil, intelectual e cristã para analisar tudo e reter o que é bom e assim sou mais para a Esquerda do que para a Direita, mas estou mais para o centro do que para a Esquerda mesmo em meus ideais sociais e políticos. Mas eu acho que em tudo tem muita coisa interessantee tem muita coisa bem bosta também. Mas eu sempre tomo o cuidado de colocar a teologia acima de qualquer sociologia ou economia, por isso tento ver coisas boas, mas também não deixo de contestar as coisas tanto da esquerda como da direita, colocando o reino de Deus que é espiritual como acima destas duas coisas e de qualquer outro sistema mundano falho e pecaminoso.

Vemos várias coisas ruins nos dois sistemas, como o racismo, a exploração do trabalho, o privilegiamento dos ricos, a exploração de recursos naturais e tantas coisas ruins em sociedades capitalistas ou exploradas pelos capitalistas e também coisas ruins dos países de esquerda, como o combate à liberdade religiosa, testemunhos de irmãos que viveram na “cortina de ferro” e foram super perseguidos por estarem em regimes esquerdistas. Conheci um mesmo que voltou de Cuba mutilado, tinha tomado tiro na barriga por um policial que descobriu que ele estava evangelizando, mas conseguiu fugir e, através de organizações missionárias e intervenção diplomática brasileira, conseguiu voltar ao Brasil.

Em resumo, não sou especialista, mas procuro conhecer os prós e contras e formulo minhas tendências políticas e sociais com liberdade. Por isso hoje sou um esquerdista reformista, ou centro-esquerda. Acredito que o capitalismo e o socialismo têm coisas e boas e ruins, mas sou pacifista, não sou revolucionário, acredito em liberdades individuais contra o controle total do estado, mas creio que o Estado deve interferir pelo bem da sociedade em questões econômicas, mas muito pouco em questões comportamentais. Eu não sou socialista, nem comunista, muito menos anarquista, vertentes mais “extremas” da esquerda. Eu sou reformista, ou seja, penso que a prioridade deve ser sempre o social e os mais vulneráveis e acredito que a sociedade deve estar aberta a novas formas de entender suas questões econômicas. Bom, estou mais próximo do que chamam de “Social Democracia”, mas no Brasil a “Social Democracia” é mais pendente ao neoliberalismo da centro-direita e não gosto nem um pouco disso, por isso detesto partidos como o PSDB, que se diz social democrata, mas não tem nada a ver com isso, e o PT, que tem um discurso ainda de Esquerda, mas na prática ainda tem uma governança e um projeto totalmente neoliberal. Mas quase nunca querem entender o que eu penso, para muitos, qualquer coisa que tenha a ver com a esquerda já é ligada ao comunismo e por isso me chamam de comunista pela internet a torto e à direita. É um saco! Mas, enfim, cansei de me explicar para quem não quer ouvir, mas se acha numa “guerra espiritual” contra o mal e, para essas pessoas, eu me torno automaticamente mal por causa das minhas opiniões políticas que eles mesmos não entendem. É um saco mesmo. Eu tenho desfeitos amizades virtuais e deixado de seguir cada dia mais gente por ver tantas injustiças e discursos cheios de fanatismo ou mesmo ódio contra esquerdistas na internet. Me sinto muito mal pelos tempos atuais.

Conheço cristãos de orientação socialista que têm a mesma fé que eu, não muda absolutamente nada em conceitos fundamentais como trindade, inspiração e autoridade da Bíblia como Palavra de Deus, justificação por Jesus somente, a igreja como a noiva de Cristo sendo a comunhão dos santos, enfim, temos a mesma fé naquilo que o cristianismo defende desde a época dos apóstolos e permanece firme ao longo dos séculos, mas discordamos em relação a teorias sobre política e sociedade. Por isso você dificilmente me vê falando de comunismo. Porque não vivo em um país comunista, não sou adepto do comunismo. Comunismo para mim não diz absolutamente nada. Existem tão poucos comunistas hoje em dia que essa paranóia de “golpe comunista” não faz sentido nenhum. Não tenho motivos para combater algo que não me afeta. E meus amigos comunistas sabem que não sou comunista, que acho o comunismo um absurdo, mas conversamos sobre isso numa boa. Eu digo que discordo deles e há respeito mútuo. Até porque eu não quero ser amigo de quem não me respeita. Por isso tenho cortado relações mais com adeptos da direita do que da esquerda, porque a falta de respeito vem muito mais dos adeptos da direita.

Mesmo com essa idéia acima, os modistas da “Direita Cristã” enchem o saco no meu perfil pessoal, na minha página pessoal, no meu blog, nas minha páginas, em tudo quanto é canto.. Eles aderiram a um modismo doutrinário muito fechado e extremista. São agendas diferentes que eles têm entre eles. Alguns são olavetes, outros bolsonetes, outros teonomistas, outros “cosmovisão”, outros são integralistas, outros são monarquistas, outros são anti-semistas/neonazistas, outros são sionistas, enfim a Direita “Cristã” brasileira é uma salada de conceitos, cada um dizendo ser a “verdadeira Direita”, mas em comum uma coisa: o combate ao comunismo. Só que, para eles, “comunismo” é qualquer coisa que esteja fora de suas agendas individualistas. Eles querem andar armados e sair matando “bandidos” por aí sem julgamento justo. Se você é contra, você é comunista automaticamente. Eles acham que é errado que os impostos que eles pagam sejam dados para pessoas necessitadas terem oportunidades de comer, trabalhar, enfim, sobreviver. É contra? Comunista! Eles se acham o máximo por terem alguma coisa, tipo um celular caro, um carro, uma casa num lugar legal, um trabalho legal, enfim eles acham que merecem o que eles têm de bom e quem não tem, é porque não merece. Aí você fala que o Brasil é um país  injusto e que muita gente não teve oportunidade de estudar, de trabalhar e por isso não tem coisas legais e que é nosso dever como cristão amar essas pessoas como amamos a nós mesmos e desejar, lutar para que tenham oportunidades como nós tivermos também. Como eles reagem? Seu comunista! Quem não trabalha, não come (como se esse versículo defendesse o individualismo capitalista)

Enfim, sei que não são todos. Muitos irmãos de Direita são solidários, não idolatram o Mercado, nem o individualismo. Eles colocam a fé acima de suas convicções políticas. mas essa moda de extremismo de Direita tá dando no meu saco há tempos. Hoje até “confesso” que sou comunista para muitos na zoeira mesmo, quando vejo a galera falando de “comunismo” sem sentido no que dizem.. Levar no bom humor talvez seja a melhor forma mesmo..

Aí algum modista vai falar: E o comunista? Você aceita o extremismo comunista de boa?

Bom, eu até conheço alguns que se tornaram extremistas em suas ideologias de Esquerda. Estes também enchem o saco e tudo que escrevi acima sobre apostatar da fé em nome de convicções políticas vale para eles também. Mas são tão poucos perto desse modismo de Direita que nossa classe média sofre hoje, que não me incomodam muito. É só ignorar. Agora os modistas de Direita são como um enxame de abelhas, não dá para desviar, a toda hora aparecem querendo me “descrendenciar” como cristão por não ser adepto de suas bobagens politiqueiras então valem esta menção mais apurada deste post, porque não aguento mais tanto legalismo e atrevimento em querer decidir quem é cristão ou não (portanto salvo ou não) por causa de política e não por causa da fé no Evangelho de Jesus Cristo, que não tem nada a ver com aderir a projetis políticos deste mundo, mas reconhecer que somos todos transgressores da Lei e ter uma visão política não nos torna inocentes, não nos justifica diante de Deus, mas que somente pela fé em Jesus que somos tido como cristãos e inocentes ou não, e que a santificação é de acordo com a Lei das Escrituras, não de acordo com as idéias de Mises, Hayek, o astrólogo Olavo de Carvalho, Doyeedveerd, Kuyper, Ronald Regan ou qualquer outro escrito fora das Escrituras (Ap 22.18)

Que Deus tenha misericórdia de nós.

Anúncios