Se a gente ama o próximo de verdade, temos que falar sobre o pecado, reconhecer o que a Bíblia chama de pecado, pq só pecadores vão para o Céu.
 
Se a gente esquece que é pecador e alivia o lado das pessoas que a gente gosta não com o perdão de Deus, a gente está tendo um falso amor por elas, estamos sendo egoístas porque não queremos problemas com elas, não realmente cheios de compaixão para que a gente , como pecador, possa ajudar outro pecador e testemunhar o Evangelho de perdão e da graça de Deus.
 
Se a gente fica tentando reinterpretar a Bíblia para dizer que pensamentos, palavras e ações que a Bíblia chama de pecado não são realmente pecado, se a gente procura relativizar questões sexuais, sociais, individuais, espirituais como se fossem só um ponto de vista de uma época quando a Bíblia fala sobre isso, ou que a tradução para o português do grego e do hebraico está errada, como fazem estes argumentos que se espalham às vezes pelas redes sociais; se entramos nesse jogo atual de pós verdade que procura desconstruir o que a cristandade sempre considerou pecado para não ser considerado pecado mais, ou buscar “base bíblica” para deixar de considerar virtude o que a cristandade sempre desejou como virtude; ou seja, desconstruir a Bíblia e o testemunho dela pela história, ou usar a própria Bíblia contra ela mesma para atender anseios de nossa época, sejam seus sistemas econômicos iníquos, sejam estilos de vida que entristecem a Deus, seja o que for, a gente não está nem se amando, nem o próximo, porque estamos jogando um jogo perigoso que pode nos afastar eternamente de Deus e atrapalhar muito a vida do nosso semelhante ao dar argumentos para o pecado, não luz para a escuridão que o pecado traz para o mundo.
 
Paulo nos lembra disso na Bíblia, que temos perdão infinito pela graça de Jesus, e por isso em amor por Deus e pelo próximo temos que levar o perdão para as pessoas, mas se a gente deixa de dizer que o pecado é pecado, qual a necessidade do perdão, se não existe mais pecado ali nas situações que estão passando por revisão teológica, tanto do lado fundamentalista, como do lado liberal, hoje em dia?
 
Veja bem, se posicionar contra o pecado é se posicionar como um pecador, você não é melhor do que a pessoa que comete algum tipo de pecado que você não gosta, você também tem seus pecados que ofendem a Deus igualmente, assim como eu tenho os meus, então se posicionar contra o pecado, se posicionar como um pecador, é uma relação horizontal, de igual para igual, de alguém perdoado falando do perdão que recebeu e da nova chance que recebe todos os dias de “matar” a carne, todos os dias também, e viver numa nova mentalidade, num novo espírito, não por causa da Lei de Deus e das boas orientações que ela dá, mas num cuidado do próprio Deus que nos ajuda a viver segundo essas orientações e nos perdoa sempre que falhamos, sempre nos dando a chance de recomeçar.
 
Por isso não é sobre dar uma nova “cosmovisão”, fazer uma “nova leitura”, nada disso, mas testemunhar do amor e da graça de Deus por todos os pecadores, mostrar ao pecador com quem nos relacionamos que, assim como nós (que também somos igualmente pecadores), eles também têm livre acesso a essa graça, a esse perdão e a essa nova vida diária pela fé.
 
Vamos ficar com a Palavra de Deus:
 

Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

Não apenas isso, mas também nos gloriamos em Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo, mediante quem recebemos agora a reconciliação.

Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;

Conseqüentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens.

Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus.

Portanto, não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo que vocês obedeçam aos seus desejos.

Não ofereçam os membros dos seus corpos ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros dos seus corpos a ele, como instrumentos de justiça.

Rm 5.1,2,11,12,18;6.11-13

Anúncios